NE/NTrT Barroso Pereira - G 16

Classe Custódio de Mello   
 


 "Leão Vermelho"  
 

      D a t a s
      Batimento de Quilha: 13 de dezembro de 1955
      Lançamento: 13 de dezembro de 1956
      Incorporação: 23 de março de 1957

      Baixa: 26 de junho de 2001

      C a r a c t e r í s t i c a s

      Deslocamento: 4.125 dwt, 5.026 grt.
     Dimensões: 119.44 m de comprimento, 16.06 m de boca e 6.25 m de calado.
     Propulsão: Vapor; 2 caldeiras Foster-Wheeler/Ishikawajima a 350º C, 2 turbinas a vapor Ishikawajima gerando 4.800 shp, acoplados a 2 eixos.

      Combustível: 861 toneladas.

      Energia Elétrica: ?

      Velocidade: máxima de 17 nós e cruzeiro de 15 nós.

      Raio de Ação: 5.000 milhas à 14 nós.
      Armamento: 4 canhões de 3 pol. (76,2 mm/50) Mk 26 em quatro reparos singelos, 2 metralhadoras Oerlikon Mk 10 de 20 mm em dois reparos singelos.
      Sensores: 2 radares de navegação tipo Decca (instalados anos mais tarde).

      Capacidade de Carga e Equipamentos: até 4.000 toneladas de carga, e 425 m3 de carga frigorífica, em três porões, capacidade para receber pequenos helicópteros ou carga helitransportada na popa. Ar condicionado e ventilação mecânica em todos os compartimentos habitáveis e de trabalho. Instalações completas para o transporte de tropas com sanitários, cozinha, etc., gabinetes médico, odontológicos e enfermaria.

      Código Internacional de Chamada: PWSD

      Tripulação: 127 homens.

      Tropa Transportada: 497 homens ou 1.972 por curtos períodos.



       H i s t ó r i c o

      O Navio de Transporte de Tropas Soares Dutra - G 22, foi o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao Almirante Alfredo Carlos Soares Dutra, Comandante da Forças Navais do Nordeste na 2ª Guerra Mundial. Foi construído pelo estaleiro Ishikawajima Heavy Industries Co. Ltd., em Tóquio, Japão. Teve sua quilha batida em 13 de dezembro de 1955, foi lançado ao mar em 13 de dezembro de 1956, tendo como madrinha a Sra. Melo Batista, esposa do Presidente da Comissão Fiscal da Construção de Navios no Japão. Foi entregue a Comissão Fiscal da Construção em 19 de março de 1957 e submetido a Mostra de Armamento em 23 de março de 1957. Naquela ocasião, assumiu o comando o Capitão-de-Mar-e-Guerra Levi de Paiva Meira. Foi incorporado a Esquadra em 27 de maio de 1957, em cerimônia realizada em Belém-PA.
       1957 - Chegou ao Rio de Janeiro.
     1962 -  Zarpou para Rio Grande (RS) para buscar carga de arroz que estava em falta no Rio de Janeiro. Depois de retornar, o navio teve 15 dias para se preparar para transportar um batalhão do Exercito Brasileiro que constituiria um contingente da tropa de paz da ONU na Zona do Canal de Suez.
     O Soares Dutra, zarpou em julho e regressou em outubro, depois de 90 dias de viagem, 45 de mar e 12 portos visitados.

     1964 - Transportou um dos continentes da tropa de paz da ONU fornecida pelo Exercito Brasileiro para atuar na Zona do Canal de Suez.

    1966 - Em 1º de setembro, iniciou o transporte do Grupamento ALFA, composto 114 homens do CFN e 347 homens do EB que estavam retornando das Operações da OEA na Republica Dominicana.

     1967 - Durante a chamada Guerra dos Seis Dias, entre árabes e israelenses, o NtrT Soares Dutra retirada as pressas sob fogo o continente do Btl Suez, que estava na região sob mandato da ONU.

 

I m a g e n s

O Barroso Pereira, prestou a Marinha do Brasil 40 anos de bons serviços.


 


NTrT Barroso Pereira - G 16.

 

 

D a t a s

 

Batimento de Quilha: 13 de dezembro de 1953
Lançamento: 7 de agosto de 1954
Incorporação: 22 de março de 1955

Baixa: 3 de abril de 1995

 

C a r a c t e r í s t i c a s

 

Deslocamento: 4.800 ton (padrão), 8.600 (carregado).
Dimensões: 119.44 m de comprimento, 16.06 m de boca e 6.25 m de calado.
Propulsão: Vapor; 2 caldeiras Foster-Wheeler/Ishikawajima a 350º C, 2 turbinas a vapor Ishikawajima gerando 4.800 shp, acoplados a 2 eixos.

Combustível: 861 toneladas.

Energia Elétrica: ?

Velocidade: máxima de 17 nós e cruzeiro de 15 nós.

Raio de Ação: 5.000 milhas à 14 nós.
Armamento: 4 canhões de 3 pol. (76,2 mm/50) Mk 26 em quatro reparos singelos, 2 metralhadoras Oerlikon Mk 10 de 20 mm em dois reparos singelos.
Sensores: 2 radares de navegação tipo Decca (instalados anos mais tarde).

Capacidade de Carga e Equipamentos: até 4.000 toneladas de carga, e 425 m3 de carga frigorífica, em três porões, capacidade para receber pequenos helicópteros ou carga helitransportada na popa. Ar condicionado e ventilação mecânica em todos os compartimentos habitáveis e de trabalho. Instalações completas para o transporte de tropas com sanitários, cozinha, etc., gabinetes médico, odontológicos e enfermaria.

Código Internacional de Chamada: ?

Tripulação: 127 homens.

Tropa Transportada: 497 homens ou 1.972 por curtos períodos.

 

 

H i s t ó r i c o

 

O Navio de Transporte de Tropas Barroso Pereira - G 16, foi o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao Capitão-de-Fragata Luís Barroso Pereira. Foi construído pelo estaleiro Ishikawajima Heavy Industries Co. Ltd., em Tóquio, Japão. Teve sua quilha batida em 13 de dezembro de 1953, foi lançado ao mar em 7 de agosto de 1954, tendo como madrinha a Sra. Josefina de Albuquerque Guillobel representada pela Sr.a Vera Bastos Tigre, esposa do Encarregado dos Negócios do Brasil em Tóquio. Foi entregue a MB em 1º de dezembro de 1954 e foi incorporado em 22 de março de 1955. Naquela ocasião, assumiu o comando o Capitão-de-Mar-e-Guerra Ìvano da Silva Guimarães.

 

1955

 

Em 9 de abril, chegou ao Rio de Janeiro.

 

1957

 

Realizou viagem aos EUA, conduzindo as tripulações para os submarinos Humaitá e Riachuelo.

 

Realizou comissão de apoio logístico pelos portos do Nordeste.

 

1971

 

Realizou comissão de apoio logístico pelos portos do Nordeste.

 

1981

 

Entre 20 de janeiro e 1º de abril, realizou a comissão APOLOG NORTE I/81, escalando nos portos de Vitória (ES), Salvador (BA), Maceió (AL), Recife (PE), Natal (RN), Itaqui (MA), Belém (PA) e Manaus (AM).

 

Entre 18 e 16 de fevereiro, durante a APOLOG NORTE I/81 realizou viagem de instrução para universitários do curso de Engenharia de Pesca das Universidade Federal do Ceará.

 

Entre 13 e 17 de março, realizou comissão de adaptação à vida no mar com alunos da EAMCE.

 

Entre 21 e 26 de março, realizou comissão de adaptação à vida no mar com alunos da EAMPE.

 

Entre 17 e 20 de março, realizou exercicio com tropa dp Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal.

 

Em novembro, participou da Operação DRAGÃO XVII, realizada em Itaóca (ES), integrando uma FT, sob o comando do ComenCh, VA Arthur Ricart da Costa, composta pelo NAeL Minas Gerais – A 11 (capitânia), pelos CT Rio Grande do Norte – D 37, Maranhão – D 33 e Alagoas – D 36, os NDCC Duque de Caxias – G 26 e Garcia D’Ávila – G 28, o NTrT Ary Parreiras – G 16, NO Belmonte – G 24, o S Tonelero – S 21, o RbAM Almirante Guillobel – R 25 e as EDCG Guarapari – L 10 e Tambaú – L 11. Participaram também unidades da ForMinVar, ForAerNav e 5.000 fuzileiros navais.

 

1982

 

Em setembro, participou da Operação DRAGÃO XVIII, integrando uma Força-Tarefa, sob o comando do Comandante em Chefe da Esquadra (ComenCh), Vice-Almirante Arthur Ricart da Costa, composta pelo NAeL Minas Gerais, CTs Marcílio Dias, Santa Catarina e Mato Grosso, NO Belmonte, NDCCs Duque de Caxias e Garcia D'Avila; NTrTs Ary Parreiras e Soares Dutra; S Ceará, RbAM Triunfo, NV Araçatuba e Abrolhos, e as EDCGs Guarapari, Tambaú e Camboriú, além de um contingente de 2.500 fuzileiros navais.

 

1984

 

Realizou viagem a Itália, para buscar os quatro helicópteros ASH-3H (SH-3A), adquiridos novos junto ao fabricante Agusta S.p.A. As aeronaves foram desembarcadas no Rio de Janeiro.

 

1985

 

Em janeiro, integrou o GT que realizou a Operação TROPICALEX I/85, na área marítima entre os litorais de São Paulo e Pernambuco, sob o comando do Vice-Almirante Bernard David Blower, ComenCh. O GT era composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), pelas F Niterói - F 40, Defensora - F 41 e Liberal - F 43, pelos CT Marcilio Dias - D 25, Santa Catarina - D 32, Maranhão - D 33, Rio Grande do Norte - D 37 e Espírito Santo - D 38 e pelo NT Marajó - G 27. Participaram como navios escoteiros os S Ceará - S 14 e Amazonas - S 16 e o NO Belmonte - G 24. Foram visitados os portos de Recife (PE), Cabedelo (PB), Maceió (AL), Salvador (BA), Vitória (ES) e Santos (SP).

 

Em dezembro, visitou Salvador (BA), participando das comemorações do Dia do Marinheiro.

 

Recebeu equipamento de NAVSAT ET/SQN-1A.

 

1988

 

Realizou viagem a Base Naval de La Spezia (Itália), para buscar os quatro helicópteros ASH-3D (SH-3), modernizados para o padrão H na firma Agusta S.p.A. Foram feitas escalas em Funchal , Marselha (França) e Las Palmas (Ilhas Canárias). As aeronaves foram desembarcadas no Rio de Janeiro.

 

1995

 

Em 3 de abril, deu baixa do serviço ativo.

 

 

R e l a ç ã o    d e    C o m a n d a n t e s

 

Comandante Período
CMG Ìvano da Silva Guimarães 22/03/1955 a __/__/19__
CMG Sérgio Torrents Watson __/__/197_ a 24/02/1978
CMG Thomaz de Paula Ribeiro Neto 24/02/1978 a __/__/197_

 

 

B i b l i o g r a f i a

 

- Baker III, A.D. Combat Fleets of the World 1998-1999. Annapolis, MD: Naval Institute Press, 1998.

 

- Mendonça, Mário F. e Vasconcelos, Alberto. Repositório de Nomes dos Navios da Esquadra Brasileira. 3ª edição. Rio de Janeiro. SDGM. 1959. p.42.

 

- NOMAR - Noticias da Marinha, Rio de Janeiro, SRPM, n.º 451, jan. 1981; n.º 462, nov. 1981; n.º 500, fev. 1985; n.º 509, jan. 1986.

 

- Revista Força Aérea. Rio  de Janeiro, Action Editora, n.º25, jan./fev./mar. 2002.

 

- Revista Tecnologia & Defesa, São Paulo, Editora Aquarius, N.º 21, 1985; N.º 36, 1988.

 

- Folheto do Lançamento ao Mar do NTrT Ary Parreiras, Ishikawajima Heavy Industries Co., Tokyo, Japan. 1956

 

 

NGB - Navio de Transporte de Tropas Barroso Pereira - G 16O Navio de Transporte de Tropas Barroso Pereira - G 16, foi o primeiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome em homenagem ao Capitão-de-Fragata ...

 

De: Theodoro da Silva Junior <theojr@terra.com.br>
Data: 27/09/2007 (20:48:29)
Assunto: Navio de Transporte de Tropas Barroso Pereira - G 16

 


 

 

 

A VOLTA EM 1962 - CHEGADA DO 10° CONTINGENTE

AO PORTO DE BEIRUTE - LÍBANO

 

 


A Volta em 1964 - Chegada do 13°Contingente
ao Porto de Marselha - França.

 

VOLTAR