ALCEU , UM GUERREIRO EM MARCHA


                        

  Na madrugada de 28 de setembro de 2009,
Na cidade do Rio de Janeiro,
Na Vila Militar,
Em frente ao legendário quartel,
O Regimento Avaí, o Dois de Ouro,
Vê-se um grande clarão
Seguido de tiros de canhões.

No meio de tamanha claridade,
Com bandeiras e estandartes,
Surge um grande Batalhão em marcha:
Seus soldados vêm com uniformes brilhantes,
O peito cheio de medalhas.
A cadência é firme, o chão quase a tremer.
Parece uma parada militar.

Ao som de clarins
O Batalhão para e se posiciona
Em frente a essa unidade militar.
Aparece uma luz forte Cheia de cores,
E entre elas aparece um soldado com o uniforme impecável
E uma boina azul.

Vem sorridente e acena para todos.
No meio da soldadesca
Ouvem-se gritos:
É o Alceu, é o Alceu!
Exclamam os soldados:
-Nosso amigo, nosso amigo Alceu!

E perfilando perante o batalhão,
É recebido por grandes comandantes,
Que dão a ele as boas-vindas
Pela missão, pelo dever cumprido.
E sobre ele cai uma nuvem
De pétalas de rosas.

Toma o seu lugar no dispositivo,
Junto aos seus amigos
Que o abraçam.
E é recebido com muito carinho
Por todos.

De repente, ouve-se o toque do clarim.
No horizonte abre-se um portal
Todo iluminado.
É dada a ordem de partida:
O batalhão inicia a cadência de marcha.

Em frente a um grande palanque,
Com fortes luzes e raios,
Veem-se entidades da guerra
Cercadas por generais e cândidas mulheres,
Que saúdam o invicto batalhão
E jogam sobre ele centenas de flores.

Nesse grande desfile,
É visto em seu uniforme impecável,
Junto aos seus amigos.
Em uma cadência única de marcha,
O Alceu todo garboso.
Em seu rosto traz um sorriso
De até breve aos amigos que ficam.

E, como em um passe de mágica,
Tudo desaparece no horizonte.
Tudo fica na penumbra.
O silêncio retorna àquele local.
O Batalhão se foi.
E o Alceu também.

Que Deus guarde os soldados
Do heróico Batalhão Suez!
E que guarde o Alceu,
Esse guerreiro
Que nunca morreu. .


 

 

Este poema é uma pequena homenagem a Alceu, grande homem, que não conheci pessoalmente,
mas sempre estive e estarei com ele.
Você, Alceu.

Piquete, SP, 22 de outubro de 2009.

José Maria de Azevedo Paiva
Paraquedista militar da reserva. Nº 20986 - 1970


VOLTAR