Poema ao Batalhão Suez


No despertar da manhã cinzenta ouço o toque do clarim.


Vejo no horizonte centenas de homens em marcha
com vários estandartes e uma bandeira muito azul.


O peito repleto de medalhas que contam a história de uma grande força de paz num longínquo país.


Suas cabeças ostentam o símbolo supremo da força de paz, a boina azul.


Este é o último contingente, o Batalhão Suez e seus heróis inesquecíveis


Do passado ao futuro sempre lembrado.


Pqdt 1970 - José Maria de Azevedo Paiva

From: "JOSÉ MARIA AZEVEDO PAIVA" <pqdt1970@hotmail.com>
Sent: Saturday, February 10, 2007 2:16 PM
Subject: Poema dedicado ao Batalhão Suez


VOLTAR