CANAL DA LEMBRANÇA

 

 

Por Autor desconhecido


Faço aqui meu despretensioso comentário, homenagem a um Veterano de Suez, e como uma modesta contribuição para adivulgação da bonita crônica ,veja logo ABAIXO...

Eu não tenho a certeza mas APOSTO MINHAS FICHAS que o autor desta matéria é o Francisco Denk Monfron (que aparece na foto). O Francisco é um Veterano de Suez - "Faraó" que pertenceu ao 11º Contingente- Btl.Suez, nasceu, vive e ainda trabalha na cidade de IPIRANGA-Pr-, pequena cidade que fica próximo a Ponta Grossa, cerca de 50 Km. O Francisco é proprietário de um pequeno sítio agrícola, bem próximo ao perímetro urbano da pequena cidade. Nosso personagem desta homenagem é produtor de leite. Trabalha incansavelmente com sua família, todos os dias do ano, de todos esses anos depois de Suez, cuidando e tirando leite das suas vacas.Não sei onde arruma tempo para manter o gosto pela arte cultural.Na Missão Suez servimos juntos por alguns meses do 2º semestre de 1962, no então 3º Pel. da 9ª Cia (Pel. Pernambuco Comando do Gaúcho - Tenente Camargo), e  pertencíamos ao mesmo GC do Pelotão. Morávamos na mesma barraca com outros 10 soldados. aqueles tempos o Francisco, que é pessoa humilde, grande amigo e ótimo soldado, já gostava de fazer versos e até algumas poesias com a maior espontaneidade. Lá no deserto gostávamos de ouvi-lo recitando seus versos e suas poesias, sempre com aquele "jeitão simples e alegre" mas muito objetivo . Certa vez, inicio da década 1990, fui ao funeral de um Boina Azul do 4º Contingente (Guido Manosso), que também morava em Ipiranga e o Francisco, lógico, lá estava para prestar as últimas homenagens ao companheiro falecido. E, lá na saída do cemitério, ele soltou mais um dos seus versos, que por relapso de minha parte acabei esquecendo do teor das palavras colocadas ao sabor do vento que soprava na cidade de Ipiranga. Lembro apenas que era um verso longo, em homenagem ao companheiro falecido, enaltecendo nossas participações na Missão de Paz. Portanto, acredito que deva ser dele também esse bonito texto....CANAL DA LEMBRANÇA, que foi encontrado pela Internet, o qual na minha interpretação tem tudo a ver com o Francisco. Se é que reconheço os dotes poéticos daquela grande figura humana. 


 

Um conto sobre Coisas de Suez e CANAL DE SUEZ

 

Como acontecia em todos os domingos, ela estava sentada em roda junto aos seus primos. Todos ouviam as histórias de seu avô, o tradicional almoço de família na casa dele não falhava nunca. Hoje suas histórias giravam em torno de quando ele esteve com as Forças de Paz Brasileiras no Canal de Suez, ela achava aquilo tudo uma enorme chatice, assim como a maioria dos que estavam ali sentados. Para ela o velho sempre foi um enrolador e mentiroso, inventava histórias de coisas que gostaria de ter sido, e agora que estava velho e não tinha nada, gostava de sonhar. Foi quando, pensando que não iria ficar por mais de uma hora ouvindo ele, ela se levantou, e num acesso de raiva berrou com o dedo apontado para ele:


- Ah vô, pelo amor de Deus! Acha que vamos acreditar em todas essas mentiras que tu conta? Se os outros não tem coragem de dizer eu tenho: É muito chato ficar ouvindo teus sonhos por horas. Se tivesse um pingo de bom senso, tu iria usar o dinheiro que gasta nesses almoços para ter algo na vida.


Depois de falar ela saiu correndo, iria se esconder no lugar que seu avô sempre falou para ninguém entrar. Chegou ao segundo andar da casa e subiu o último lance de escadas que levavam ao esconderijo, o sótão. Enquanto fechava a porta viu que um feixe de luz vindo de uma janela iluminava o lugar, ao menos não ficaria na completa escuridão.


Ficou por um tempo analisando tudo que aquele lugar escondia por tantos anos, pequenos troféus, móveis cobertos de poeira, brinquedos antigos de madeira, pensava qual teria sido o motivo para seu avô não deixar ninguém subir ali. Uma caixa de papelão na parede oposta à janela lhe chamou a atenção, antes de ver o que ela continha foi ver como estavam os preparativos do churrasco pela janela. Todos muito ocupados, mas não avistou nenhum de seus primos, provavelmente estavam com aquele velho doido. Quando se virou de novo para dentro do aposento seu coração apertou, agora ela encarava a caixa de papelão de frente, e escrito com tinta verde ela podia ler: Suez.


Pegou a caixa e sentou-se na cadeira que estava a frente da janela, ao abrir sentiu um forte soco no estômago, uma sensação de culpa tomou seu corpo. Retirou de dentro uma foto que mostrava um soldado sobre a divisa de Israel e Egito, junto de uma carta, que tinha as quatorze coisas que os soldados brasileiros deveriam saber para o bom desempenho de suas funções em Suez. Olhou a foto mais de perto, e agora constatou o que já imaginava, era seu avô.

Uma dor começou a machucar ela por dentro, e seus olhos se encheram de lágrimas. Estava tudo ali naquele sótão, o troféu de boliche, os quadros, os discos autografados, as lembranças do exército, todas histórias que seu avô tinha contado e ela havia duvidado. Só pensava em reparar seu erro, ia levantar da cadeira quando sentiu uma mão pesada pousar sobre seu ombro esquerdo.

- Eu sabia que iria te encontrar aqui.

- Vô, me perdoa, me desculpa! Eu realmente não imaginava. - Disse ela chorando.

- Está tudo bem. Você deve estar se perguntando porque eu guardei tudo isso, quando poderia logo ter acabado com as tuas dúvidas? Pois bem, enquanto eu viver não preciso de nada que tem aqui, eu mesmo posso contar minhas histórias, e quando eu não estiver mais com vocês, essas lembranças que vão contar por mim. Tu ainda vai aprender que tem certas coisas que a gente não precisa ver para acreditar, e não me ofendi, quando disse que deveria juntar dinheiro para ter algo na vida, porque eu já tenho algo que dinheiro no mundo seria capaz de comprar, vocês minha pequena princesa, a minha família.

O Canal de Suez, que até então unia o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho, acabara de unir mais uma coisa, uma neta ao seu avô.

"Não levantes a espada sobre a cabeça de quem te pediu perdão." (Machado de Assis)

Fotos: Canal de Suez - Foto do soldado - Cartilha do Exército

                                       Canal de Suez                                                      Soldado na Linha LDA

 

CARTILHA

1- Você foi escolhido para fazer parte em um acontecimento de grande relevância na História do Mundo. Nosso batalhão irá incorporar a Força de Emergência da ONU que se destina a manter a paz e evitar a guerra entre os povos.

2- Você deve se orgulhar muito de sua missão, pois sua família irá se orgulhar muito de ti, e na volta todo o Brasil o festejará.

3- Você vai adquirir muita experiência nessa missão conviverá com militares de outras nações e irá conhecer terras com usos e costumes diferentes.

4- O Batalhão Brasileiro irá para o Oriente Médio que é a região que fica entre três continentes: Europa, Ásia e África. Os povos em sua maioria que lá estão são árabes e israelenses, povos que possuem grandes divergências, e andam guerreando ultimamente. A Força de Emergência vai se colocar no meio de todos para evitar o combate.

5- Por onde estiver deverá ser comportar dignamente como militar e como brasileiro. Deverá deixar boa forma de disciplina e comportamento.

6- Lembre-se que o estrangeiro tem tanto direito de ser patriota como você, os costumes dos estrangeiros devem ser respeitados como também seus símbolos nacionais.

7- Os estrangeiros como nós tem suas famílias, por isso devemos respeitar seus familiares. Suas igrejas merecem também respeito.

8- Seja discreto, não se meta em assuntos complexos de políticas, religião, não crie caso.

9- Mantenha um bom ambiente no Batalhão e um ótimo relacionamento com seus camaradas, afinal "a união faz a força".

10- Aceite e cumpra as ordens de seus superiores demonstrando claramente que em nosso Exército existe disciplina, tendo sempre em mente que a subordinação militar nunca foi humilhação.

11- Não relaxe, respeite a si mesmo e a todos para ser respeitado, dignificando o uniforme que veste e eleve bem alto o nome do BRASIL.

12- Escreva constantemente cartas para a família com simplicidade e carinho, informando de sua vida. Não mande notícias alarmantes ou que não sejam verdadeiras.

13- É importante aprender algumas coisas sobre o Egito como religião, clima relevo, temperaturas, costumes usos, seu livro sagrado ALCORÃO, desertos, sua capital, o Rio Nilo, condições de vida do povo, educação, regime político, principais cidade e Canal de Suez.

14 -Ter conhecimentos sobre Israel, sua história, povo, criação, costumes, usos, clima, produção, educação.


 

Um abraço Theodoro


De: Theodoro da Silva Junior <theojr@terra.com.br> 
Data: 11/03/2006 (12:37:55) 
Assunto: Um conto sobre Coisas de Suez e CANAL DE SUEZ 

O Canal da Lembrança  " Um bonito Texto - Artigo que encontrei pela Internet dia 09-03-2006 
de autor desconhecido".


VOLTAR