50

CINQÜENTENÁRIO DO BTL.SUEZ

50

Por Magalhães


Caros colegas de luta
Saudações cordiais

Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que esse texto, assim como as idéias nele contidas partem de uma pessoa nascida no Rio de Janeiro e integrante do 3º Contingente, contingente organizado e treinado no então 2º RI, mais conhecido como o "DOIS DE OURO".

Sempre participei dos eventos organizados pela ABIBS-RJ, desde o tempo do legendário Emmanuel Bonfim Viana, diga-se de passagem, muito bem organizados. De uma época para cá a vaidade tomou conta de alguns personagens, quero dizer, de alguns dirigentes da Associação do Rio que, baseados no pioneirismo daquela Entidade e por ser o 2º RI a Unidade mãe da Missão Suez, procuraram com uma arrogância desmedida, se afastar das demais Associações, criar seu próprio Site, ignorando o trabalho do Alceu Batista, do Fernando Vargas Neto e de alguns abnegados colaboradores que mantêm o Site do Batalhão Suez, único órgão capaz de manter acesa a Chama da Missão, de enaltece outras Operações de Paz e de divulgar os feitos dos jovens que deixaram suas famílias, sua pátria e se lançaram voluntariamente na sagrada missão de promover a paz. Criaram medalhas próprias, tentando vulgarizar as medalhas Ordem do Mérito do Batalhão Suez e Soldado da Paz criadas pela ABIBS-RS a mais de três anos e que já fazem parte do currículo de mais de 800 autoridades entre civis e militares. Trata com desprezo representantes de outros estados como aconteceu comigo que represento a ABIBS-RS, numa solenidade que realizaram na Câmara Municipal do Rio de Janeiro e que estavam agraciando autoridades daquele Estado com as medalhas do Rio Grande do Sul.

Não vamos conseguir levar todos os nossos irmão de luta no Rio de janeiro para uma Mega Solenidade como está sendo ventilado, conseqüentemente vamos frustrar colegas que gostariam de participar desse evento único, como também deixaremos as autoridades dos estados de onde partiram os diversos contingentes que compuseram o Batalhão Suez alheios a tão importante acontecimento, não lhes dando a oportunidade de realização de uma solenidade na sua cidade, no seu estado ou na sua região.

Não esqueçamos que, em função da falta de reconhecimento por parte das nossas autoridades, o que mais necessitamos no momento e o que o evento do cinqüentenário nos propicia, é a divulgação dos nossos feitos no Oriente Médio e do que somos capazes de fazer aqui no nosso querido Brasil.

Nós sabemos que todos os contingentes são oriundos do 3º Batalhão do 2º Regimento de Infantaria e que do Rio de Janeiro partiram três contingentes, mas não devemos esquecer que os quartéis de Porto Alegre, de Curitiba, de São Paulo, de Belo Horizonte e outros estados que não me recordo no momento, organizaram seus contingentes, treinaram o pessoal local, tiveram seus gastos e cumpriram com êxito todas as determinações impostas pela ONU, sem contar que cada contingente tem a sua história que está diretamente ligada ao Estado a que pertencem; Cabo Carlos Adalbeto Ilha de Macedo, é um exemplo.

Um colega da Paraíba, um idealista, um visionário, preocupado com a manutenção da chama da Missão, cria o símbolo do cinqüentenário...Muito bonito...Muito atual e nós agora vamos estimulá-lo a ir para o Rio participar da solenidade do cinqüentenário e deixar a sua Associação que começa caminhando bem abandonada...É correto?

Que o Rio de Janeiro tenha a sua festa eu acho providencial; que a festa do Rio de janeiro seja monumental, eu acho espetacular, pois o ex-integrantes do Batalhão Suez daquele Estado, merecem o melhor, mas vamos organizar as nossas festas, vamos agraciar civis e militares das nossas regiões com a medalha Ordem do Mérito do Batalhão Suez versão ouro, criada especialmente para essa ocasião e vamos mostrar aos Comandantes de cada região a que pertencemos que, independente da nossa naturalidade, formamos um só Batalhão empenado na sagrada missão de promover a paz e aos olhos da Comunidade Internacional, cumprimos com êxito a tarefa que nos foi confiada.

Estamos vivos e com diz nosso colega Salim "Uns esbeltos e outros nem tanto" mas o importante e que chegamos até aqui e, por favor, não nos negue o direito de vibrar, de chorar e de mostrar aos nossos filhos e netos, o quão importante foi o nosso trabalho, a serviço da paz de povos irmãos.

Parabéns Salim pelo "Símbolo do Cinqüentenário"; vou reproduzi-lo e colocá-lo orgulhosamente na minha parede.
E porque não sugerir que se faça uma Comenda ou algo que se possa oferecer a pessoas amigas do Batalhão Suez como uma lembrança especial...Fica ai a sugestão

Um forte abraço a todos

Dacilio de Abreu Magalhães
3º Contingente


Assunto: Cinquentenário da Missão Suez 
Remetente: Dacilio Magalhaes <dacilio@yahoo.com.br> 
Responder para: Dacilio Magalhaes <dacilio@yahoo.com.br> 
Data: Thu, 20 Jul 2006 17:10:35 GMT 


VOLTAR