QUEM NÃO SE LEMBRA....?

 

THEODORO

" A Vovó é...LEMBRADA PELA MAIORIA DOS VETERANOS DE SUEZ "
( FOTOS NO FINAL )


Na "confraria" Btl.Suez...Quem não se lembra da Vovó, do Yusif e, do Pedro da cantina ?

O Yusif, Palestino de nascimento é nosso grande amigo, nos contou que, esteve em 2005 visitando parentes na Faixa de Gaza, e disse-nos que ela (a vovó) nasceu em 1947, mostrou cópia de documentos.

Portanto, em 1962 quando o 10º Contingente lá chegava, ela completava apenas 15 anos de idade. Ninguém anotou o verdadeiro nome da vovó, quem souber que diga, por favor.

Então, Quando estourou a Guerra dos Seis Dias(1967) ela tinha apenas 20 anos.

Ela era uma "anã" altiva e muito esperta e, portanto, não era velha como muitos pensavam, ganhou o "apelido" de vovó por uma pura sacanagem dos soldados brasileiros.

Quem apelidou de Vovó aquela menina, ainda criança, cometeu a mais injusta brincadeira, porque quando ela surgiu na Cerca de arame farpado, lá no Campo Brasil, ela era uma menina ainda, acredito ser a pura “sacanagem” dos brasileiros, que na verdade, não passou de uma infantil brincadeira.

A Vovó deveria sim ser apelidada de NENÉM, ou Bebê, devido sua altura de anã e pouca idade.

Porém ela já era uma “guerreira” e enfrentava as “bagulhadas” com os soldados brasileiros com altivez e desenvoltura de gente grande, e de uma verdadeira inteligência.

Andava sempre descalça, às vezes correndo nos arredores da cerca de arame do Campo Brasil. Atendia os pedidos dos brasileiros para fazer compras no comércio de Rafah, que ficava muito próximo ao Campo Brasil (QG do Btl.Suez), Era assim que ela bagulhava e ganhava uns trocadinhos. Tinha uma língua muito afiada. Por ser menina ainda, mas com uma postura de adulto, de gente grande, altiva e rápida de raciocino, ganhou esse infeliz apelido de Vovó, e até hoje poucos sabem seu verdadeiro nome. Porém é a única mulher ,da Faixa de Gaza, que ficou na lembrança de todos. Ninguém cita nome de outra mulher palestina nas suas lembranças.

A Vovó sempre foi nosso ícone de referência da população palestina e refugiados, personagem marcante do período dos Soldados Brasileiros que tiveram a felicidade de conhecê-la.

Agora e aos poucos, estamos tentando perpetuá-la em nossos registros, alguns já contidos no Site Btl.Suez e assim, sempre poderemos reverenciar aquela importante personagem da História do Btl.Suez.

Vovó!  - Você será lembrada para sempre em nosso acervo Histórico como exemplo de pessoa estimada que tinha uma personalidade muito forte, e que suportava a irreverência dos soldados brasileiros com muita propriedade. De toda população palestina, que habitava a Faixa de Gaza, você é o único nome de mulher que lembramos, você, com aqueles seus "trejeitos" e maneira de ser, também nos ensinava um pouco da cultura árabe, e nos ensinava como lutar pela sobrevivência e superar a miséria que existia na Faixa de Gaza. Por tudo que você nos representa será uma eterna e ótima recordação do Campo Brasil. Algumas das suas passagens foram citadas no Livro escrito pelo STANS ZOUAIN FILHO. Ainda existe muitos brasileiros do Btl.Suez que a respeitam e a admiram.

O Yusif, quando esteve na Faixa de Gaza, em 2005, descobriu que a família da vovó está residindo no “Bairro Brasil” em Rafah. O povo e autoridades da Cidade escolheu o nome Bairro Brasil em homenagem ao Batalhão Brasileiro, uma vez que o epicentro do atual bairro, está localizado no local onde era o Campo Brasil. O Yusif procurou e encontrou a vovó, agora religiosa, adulta e muito séria e nos contou a receptividade que teve dela, que ainda lembra dos brasileiros e daqueles tempos. Já esqueceu algumas palavras do nosso português, mesmo assim ainda fala nossa língua.

Naquela área, onde era o Campo Brasil, a NORUEGA construiu um bem aparelhado CENTRO SOCIAL COMUNITÁRIO, para dar atendimento aos desvalidos e refugiados que residem nas redondezas de Rafah. Nesse Centro, segundo o Yusif, funciona uma boa estrutura com apoio dos Governos da Noruega e Canadá. ( para contatos com o YUSIF, escreva para o seguinte e-mail yusifawni@hotmail.com.

O Brasil que se utiliza de propaganda gratuita dando nome ao bairro, nunca contribui com nada, a não mero nome. Nossos governantes e/ou autoridades deveriam olhar com mais carinho aquele povo e contribuir, de alguma forma, com ajuda ou algum projeto humanitário, para fazer jus à lembrança da homenagem ao nosso país. Algum projeto ou ação, por menor que seja, deveria ser implantado, honrando assim nosso Brasil. Afinal graças nossa ação naquele lugar, deixamos nossa boa impressão.

No Centro Social do Bairro Brasil, existe um Posto de Saúde completo e bem aparelhado, com um Jardim de Infância para dar atendimento a 450 alunos carentes.

No mesmo local também funciona um centro de atendimento para as pessoas portadoras de necessidades especiais (os antigamente chamados Deficientes Físicos), com um belo Jardim, bicicletas para uso terapêutico. Fazendo parte das instalações físicas da entidade, o Centro Social Comunitário do Bairro Brasil possui um amplo salão para reuniões e festas, com capacidade para 150 pessoas sentadas.

A comunidade do Bairro Brasil conta com o apoio de governos estrangeiros, os quais vêm garantindo a Manutenção da entidade, Contribuindo com Uniformes que trazem a inscrição timbrada dos governos Canadense, e Norueguês; Bolsas de Estudos, alguns medicamentos,e mais um Posto de Artesanato.

Alô autoridades intelectuais do Brasil ! Falta a nossa ajuda e colaboração !

Os moradores do Bairro Brasil somam cerca de 480 Famílias, com uma população residente naquele Bairro estimada em de 4.880 a 5.000 pessoas. A maior autoridade do Bairro Brasil se chama EL HIG ABIDO MOHAMED ZANOR (é mais conhecido como "Abo O Sama"),
o endereço é Bairro Brasil, nº 27 / 48 – Rafah Palestina. Na casa Dele moram 56 pessoas.

Os atuais moradores da cidade de Rafah, e em especial do Bairro Brasil, vivem apreensivos queixando-se dos constantes ataques do Exército de Israel, que realiza atos de terrorismo com destruição de casa e prédios residenciais, e a população menos favorecida não têm a quem recorrer. Sofrem na carne os atos militares de Israel, que ainda faz e mantém ocupações na Região, desde a Guerra dos Seis Dias de 1967.
Veja a seguir... Fotos
 

"UMA VIAGEM A PALESTINA NOS FAZ LEMBRAR DE SUEZ"
 


Yusif e o Habib PEDRO que trabalhava na Cantina do Batalhão.
o Verdadeiro nome do Pedro é FAID EL-BANA, ele manda avisar
que espera seu contato pelo telefone: 00 972 599 771 898 - Ligue para ele !.



A Vovó nos dias atuais.



Yusif agachado ao lado a Vovó em pé.



Foto dos tempos da Missão Suez - Cabo Malta e
Vovó conversando.



YUSIF e o Conhecido Monumento ao soldado
Palestino em GAZA. Nós chamávamos de Dedo Duro.




Yusif- Postal de Gaza atual e o progresso.




Yusif na ex-CCSv. Este Edifício está construído no BAIRRO BRASIL, cidade de Rafah, no exato local onde era a nossa CCSv . Uma da Companhias do Btl.Suez no Campo Brasil .
É possível ter uma idéia de como está o local onde era o Batalhão Brasileiro?



Foto da Vovó de 1962 na cerca do Campo Brasil

 
 

YUSIF e o Pedro que trabalhava na nossa Cantina. Veja ao Fundo da foto um prédio em ruínas. Alí era a Casa do Pedro (Faid El-Bana) com mais de dois andares. O prédio foi destruído pelas bombas dos israelenses, que deixo o Pedro muito triste. Mas a vida
continua e sabemos que o Pedro vai recuperar o patrimônio perdido.



YUSIF em frente ao BANCO DA PALESTINA em GAZA, logo atrás do Monumento "Dedo Duro" Um dos Primos do Yusif é um dos maiores acionista do Banco. Para você fazer doações aos moradores do BAIRRO BRASIL em Rafah fale com o Banco pelo e-mail >>>hshawa@bankofpalestine.com << ou entre no Site do Banco.



Habib Yusif e família estão em frente a guarda
de honra do túmulo de Anwar Sadat - no Cairo.


 

de Theodoro da Silva Junior <theojr@terra.com.br>
data 19/09/2008 11:18
assunto A Vovó é...LEMBRADA PELA MAIORIA DOS VETERANOS Do BTL. SUEZ


VOLTAR