Esclarecimentos


2.) - COISAS E MAGIAS DE SUEZ 

 

Theodoro

obrigado pela gentileza da atenção e da resposta. Também gostei muito do contacto com o Veiga, de ótima memória não só no Btl como em alguns trechos da nossa viagem pela Europa. Comemos um saboroso sauerkratz em Wiesbaden...
Relendo agora minha mensagem original, se impõe de imediato uma errata: quando escrevi 
"Para fins de Medalha UNEF e do regresso para o Brasil o 19A funcionou junto com o 18" o certo é 
"Para fins de Medalha UNEF e do regresso para o Brasil o 19A funcionou junto com o 19".
Nas minhas alterações, a única vez em que aparece o número do contingente, aparece como 19º. Transcrevo, também para registrar as datas :

1. EMBARQUE DO 19º CONTINGENTE DO III/2º RI - exclusão e desligamento 

Em 17/03 foi público ter sido excluído e desligado do número de adidos ao RI e EM, a contar do dia 14 de março, por ter embarcado na madrugada daquela data para o Oriente Médio, Rafah-Egito, por via aérea (em avião Hércules da Força Aérea Brasileira) como integrante do 19º Contingente do III/2º RI (Batalhão Suez). (a) Confúcio Danton de Paula Avelino, Cel Cmt

_________________________________________

Quanto ao mais, é o que o Veiga diz - o Cel Miscow conseguiu a criação de uma Seção de Intérpretes e o meu contingente na realidade foi um suplemento do 19º. O Btl tinha sido acrescido da nossa seção, fora conseguida uma vaga em Rafah (a do Cap Casales) e a 8ª Companhia foi substituir a companhia canadense que fazia a guarda de Camp Rafah, a base logística, comandada pelo Luciano. Fui, como Capitão da turma de 53, o oficial mais antigo nesse deslocamento Brasil - Rafah.
Como chegamos no Btl em março de 66, quase abril,não fomos considerados realmente como o 19, que chegara pouco antes, e nos chamaram de 19A, para diferenciar.
A demora pode ter sido fruto dos costumeiros impedimentos burocráticos e também do tempo que foi necessário para organizar e realizar o concurso para os interpretes, com capitães de todo o Brasil e conduzido no aspecto técnico do idioma pelos americanos da Comissão Militar Mista Brasil EUA.
Na cerimônia de entrega da medalha da UNEF o comandante da tropa foi o Major Mendonça, se não me engano.
No regresso, voltamos todos juntos, de avião, e deixando na Faixa de Gaza o 20º, do Cel Nepomuceno Rosa, constituído somente de gente nova.
Há um artigo em uma Sand Dune, escrito por mim, apresentando a Seção de Intérpretes à Força. Acho que o pessoal do Arquivo do Exército deve ter um exemplar .
Nosso comandante foi o tempo todo o Cel Cid Olivé Ferreira.
Espero ter ajudado.
Foi um prazer imenso este contacto.
Vou acrescentar na lista dos CC o General Coutinho, que respondeu pelo comando do Btl em diversas oportunidades e o pessoal que trabalha no projeto da memória oral das forças de manutenção de paz,
sob a responsabilidade do Gen Aricildes Motta, no Palácio Duque de Caxias.
Um grande e fraterno abraço para todos
Haroldo Netto

De: Theodoro da Silva Junior <theojr@terra.com.br> 
Data: 9/02/2006 (10:20:47) 


 

1.) - 19ª - E AGORA? QUE FAZER? 



Prezados Zouain e Theodoro


Entre o contingente 19° e o 20° foi enviado à Faixa de Gaza, o que foi denominado Contingente 19A.

Era composto dos três novos oficiais da recém implantada Seção de Intérpretes, da 8ª Cia e de um oficial que iria servir na base de Rafah.

Para fins de Medalha UNEF e do regresso paro Brasil o 19A funcionou junto com o 18.

A Seção de Intérpretes:
Cap Inf Haroldo Carvalho Netto
Cap Inf Walter Bazarov Cardoso Pinto
Cap Art Werlon Coaracy de Roure

A 8ª Cia destinava-se a servir de guarda à Base canadense de Rafah e era comandada pelo Capitão Inf Luciano Del Giudice Neto

Em Rafah, misturado aos canadenses, foi servir o Cap Cav Luciano Phaelante Casales.

Minha intenção foi contribuir para a maior precisão das informações contidas no site, que, por sinal, é muito bom.

Estou encaminhando, para CC, esta mensagem ao atual Cel Eng Mil Ref Roberto Miscow Filho, último chefe da PTA2 e ao órgão encarregado de preservar a memória oral do Exército e que atualmente trabalha na memória das missões de manutenção da paz.

Atenciosamente
Haroldo Carvalho Netto
Cel Ref - Inf 53
Integrante da primeira (só houve duas) seção de Intérpretes do Batalhão Suez. 


De: Theodoro da Silva Junior <theojr@terra.com.br> 
Data: 2/02/2006 (00:17:28)


VOLTAR