PORQUE TANTO SILENCIO

 

Por Dacilio de Abreu Magalhães


Faraós do Btl.Suez - Atenção!  Por que tanto Silêncio?  Por que todo mundo está Calado?  Cadê as comunicações? 



Caros colegas de luta 
Cordiais saudações 

NESTE ULTIMO DIA DE JANEIRO DE 2006....PERGUNTO? 

Por que tanto silêncio numa numa época em que a euforia teria que estar tomando conta de nossos corações?.

Por que tanto desânimo?; só porque existe um paria que deu lugar a outro nas Eleições da Associação no Rio de Janeiro?; 
Só porque existe no nosso meio carreiristas que querem fazer da Associação de São Paulo, trampolim para carreira política?; 
Só porque jogaram por terra os ideais do Sergio Luiz Dias?. 
 
Vocês foram os primeiros a me levantar depois de terríveis decepções e agora se deixam abater por problemas inerentes do ser humano. 

E a missão? E os corpos em decomposição que enterramos após a Guerra de Suez ? E a solidão do deserto, a saudade dos familiares ? E a Guerra dos Seis Dias, a morte do Cabo Ilha?, Os Seis no Buraco ? 
Não representa nada para nós?, não marcou a nossa vida?, não nos faz sentir verdadeiros pacificadores? 

Caros colegas, estamos no ano do Jubileu de Ouro e nós que estamos a frente desse movimento, - vamos parar? Vamos fundar, ou não, a ABIBS/BRASIL? Vamos deixar que sejam consumadas as palavras de um Coronel desinformado que considerou a Missão como uma página negra da história do Brasil? 

Vamos deixar a chama da Missão se apagar e aí, o que dirão nossos filhos quando virem nossas medalhas, nossas fotografias, pensarão talvez que fomos para ganhar dólares e conhecer o Oriente médio? 
Onde estará nossos sentimentos de Verdadeiros e pioneiros Soldados da Paz? 

Vamos a luta e não vamos fazer apenas uma festa comemorativa dos 50 anos da Missão no Rio de Janeiro, alegando que ali nasceu o III/2º RI; vamos fazer tantas festas quantas possíveis. 

Vamos fazer em cada Estado da Federação, de onde partiram nossos heróis, uma bela festa, pois aí estaremos dando oportunidade a muitos que não teriam condições de se deslocarem para o Rio, de serem homenageados, de sentirem que existem pessoas que reconhecem seus valores; dando também a oportunidade de seus filhos e parente de sentirem o que foi nosso trabalho a serviço da paz e da Comunidade Internacional. 
 
Se vocês acham que devemos parar; que as lágrimas, as emoções vividas no Comando Militar do Sudeste com a entrega simbólica do Premio Nobel da Paz 1988, que o esforço do Sergio Luiz e equipe fizeram para perpetuar nossa medalhas que os dez tiros de canhões dado pela primeira vez para soldados de uma Missão internacional, "não valeu a pena". 

Vamos fazer diferente - Vamos fazer uma solenidade simples, contratar um bom Corneteiro, comprar um caixão simples e colocar sobre ele uma placa dizendo " Aqui jaz a Missão Suez"; encerrar a cerimônia com um toque de silêncio. 
 
Magalhães. 
Aguardo notícias.... 

From: Dacilio Abreu Magalhães <dacilio@batalhaosuez.com.br>
Sent: Monday, January 30, 2006 10:28 AM 

VOLTAR