GA Z A


   

  È mencionada na Bíblia, ao se tratar dos limites de Canaã. (Gen.l0: 19)

Para os que situam a Gaza primitiva em Tel-Ayyul, a localização da Gaza atual, teria sido conseqüência de uma mudança imposta pela malária que ocorreu em Wadi Gazzeh.

Gaza foi em todo tempo, um grande centro agrícola e a chave do tráfego de caravanas orientais, ao mesmo tempo, que a base de operações militares nas guerras Egípcio-Sírias, desde Tutmes III. Foi fortificada por Seti. Apesar da sua valente resistência a todos os invasores.

Gaza foi sempre tributária dos vencedores, e como tal, foi influenciada pelos conquistadores. Teglafalasar a submeteu em 734.AC (Ter. 47:l e 5- Am.l:6..., Sof. 2:4 -Zac.9:5). No período filisteu foi uma das cinco províncias as filisteas (I Sam. 6:17). Inimiga tradicional dos hebreus se mostrou sempre hostil á sua penetração.

Recorde-se a famosa façanha de Sansão quando preso pelos filisteus, ao recuperar suas forças com o crescimento dos cabelos, enquanto os filisteus comemoravam, sarcasticamente, sua cegueira, derrubou as colunas sobre as quais se apoiava o templo de Dagon, morrendo no desabamento, cerca de 3.000 filisteus (Juizes 16:20 e 31).

Durante o reinado de Salomão e o Ezequías, a cidade esteve por algum tempo ocupada (2 Reis 18:8). Se helenizou sob a influência de Alexandre. Foi conquistada em 145 AC por Jonatas e arrasada por Alexandre Janeo em 96 AC, como represaria por certos crimes cometidos contra Judeus ( I Mac.11:61).

O  cristianismo não fez grandes progressos, a não ser a partir do edital do Imperador Arcádio (401 DC), em que se proibia o culto pagão. Seu bispo, Porfírio, destruiu o templo de Marnas, (Zeus de Creta) e em seu lugar construiu uma suntuosa basílica chamada Eudoxiana, em reconhecimento a sua benfeitora Eudóxia. Parece que sobre seus alicerces,os cruzados levantaram outra no século XII, dedicada a São João Batista.

Gaza teve, em seus primeiros séculos, uma famosa escola literária. No século VI era famosa por seus magníficos edifícios. Conquistada pelo Califa Omar, perdeu seu antigo esplendor. Com Balduino III recobrou parte de sua passada importância. Para defender-se de seus agressores construiu as 1149 DC, uma fortaleza cujo guarda confiou aos templários.

Em 1170 DC voltou de novo a cair nas mãos dos muçulmanos com a vitória de Saladino. Desde então, fora uma breve dominação por Ricardo Coração de Leão e Bonaparte em 1799, Gaza se converteu ao Islamismo.

 


VOLTAR