HOMENAGENS PÓSTUMAS

20° Contingente - Cabo Carlos Adalberto Ilha de Macedo


 
 
Colaboração do Dacilio Magalhaes <dacilio@yahoo.com.br> 
Data: Sat, 24 Jul 2004 12:29:40 -0300 (ART)
 
 
   
 
A esquerda: temos aqui nosso companheiro Cabo Ilha em seu uniforme de passeio, elegante, não adivinhando seu triste destino... e;       a direita:  hora dramática para nós do 20º Contingente. Depois de cinco dias sepultado dentro da capela do Campo Brasil o nosso companheiro CARLOS ADALBERTO ILHA DE MACEDO foi exumado no dia 10 jun 67 e está sendo transportado pelos colegas para acompanhar o Batalhão na longa e triste viagem de volta!    Fernando Vargas.
 
 

Homenagem da Cidade
 
 

Ao Pracinha Tombado da UNEF.1
( Elegia ao companhei
ro Cabo ILHA 20º Contingente )

Tivesse eu te visto tombar
Poderia ter te amparado
Te aliviado a dor
E coberto o teu ferimento
Não terias morrido só
Tão longe de casa...

Tivesse eu ouvido o tiro
Tivesse eu visto o atirador
Tivesse eu te visto exposto
Pudesse eu ter te alertado
Tivesse eu... Pudesse eu...
Mas, estava longe de ti...
E tu tão longe de casa
 
Minha mente conhece as razões mas,
Meu coração só ouve as lágrimas e a dor
Por que tu tinhas que estar lá
Numa guerra que não era tua
Numa guerra insana e cruel...
Tombaste... tão longe de casa

No entardecer do resto de nossas vidas
Perfilados em silêncio bateremos continência
Para o pracinha herói do 20º Contingente
E para outros companheiros que partiram tão cedo
Nossas saudades, Cabo Carlos Adalberto Ilha de Macedo...
EDISON IABEL - Soldado Intérprete do 20º Contingente - 1967. (Colaboração Fernando Vargas)

 


NOSSAS CONDOLÊNCIAS

VOLTAR