HOMENAGENS PÓSTUMAS

12° CONTINGENTE - SD.DAMIÃO GALDINO DA SILVA " DO JEGUE


Nossa homenagem póstuma ao grande Guerreiro Damião Galdino


Meus caros amigos, recebi noticias do nosso estimado amigo Gerson(RJ) que, infelizmente, em João Pessoa  - PB, neste final de semana ( madrugada de 29 para 30 de julho 2006), foi morto com três tiros de revolver o nosso LEGENDÁRIO DAMIÃO DO JEGUE, que ficou mundialmente famoso ao tentar entregar um Jegue ao Papa. Chegou, inclusive, a editar e publicar um livro sobre o assunto.

(E -mail do Salim Dornellas >>katze@terra.com.br).


Ainda sobre o Damião Galdino (GALDINO DO JEGUE)...o Heraldo encaminhou cópia do texto que está divulgado neste Site, na página do 12º Contingente - sobre as histórias do Galdino do Jegue, que faleceu ontem em João Pessoa.

Abaixo, com a permissão do amigo Heraldo, repasso o texto para conhecimento geral. 

From : hpfelix@gmail.com

Caros amigos:

Quando conversei com o SgtºIvan e ele me disse ter servido por um bom período em Brasília como Chefe de Gabinete, avivamos a lembrança que naquela ocasião um "arataca" de nome Damião Galdino da Silva, que era motorista de um deputado, tendo feito parte do 12º Contingente, foi motivo de noticiário tendo em vista ter em 1982 feito greve de fome devido não ter sido enviado para o Vaticano o jumento "jericá" que havia dado de presente ao Papa quando de sua visita ao Brasil. 
Achei por acaso o episódio quando de uma consulta a respeito de Brasília em que um jornal local apresenta fatos relacionados a seus 40 anos. Abraços, Heraldo.
 
 


Freddy Charlson da equipe do Correio

 

 
1982 - 4 de fevereiro - Greve de fome de Damião 
O funcionário público Damião Galdino da Silva suspendeu a greve de fome que fazia em protesto contra o não envio a Roma do jumento Jericar, um presente ao papa João Paulo II, quando da visita dele a Brasília, dois anos antes. Damião até acorrentou-se na Torre de TV. A greve acabou depois da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) prometer mandar Jericar ao Vaticano. 
http://www.google.com/search?sourceid=navclient&ie=UTF-8&oe
=UTF-8&q=%22dami%C3%A3o+galdino+da+silva%22 

 


NOTÍCIAS

Portal correio com.br - 31/07/06

O servidor federal aposentado Damião Galdino da Silva, de 66 anos, que ficou conhecido como "Damião do Jegue" por querer presentear, na década de 80, o Papa João Paulo II, já falecido, com um jegue, foi assassinado na noite de sexta-feira com três tiros na cabeça no bairro do Valentina Figueiredo II. 

O crime aconteceu na rua Joaquim Galdino da Silva, próximo a residência da vítima. O aposentado dirigia um Fiat Tipo, cor vermelha, quando dois, numa moto, interceptaram o veículo e efetuaram seis tiros. Três atingiram o rosto de Damião e os outros três perfuraram o carro.

Segundo testemunhas, a vítima perdeu o controle do Fiat, que desceu a rua desgovernado e se chocou no meio fio. Ele morreu na hora. A esposa dele, Maria Aparecida Melo dos Santos, não sabe por que Damião, que deixou três filhos, foi morto. "Está todo mundo até agora sem entender", disse ela.


 
 
Paraíba.com.br - 29/07/2006 - 12:25

Polícia diz que não tem pista dos assassinos de Damião do Jegue.

A Polícia diz que ainda não tem qualquer pista dos assassinos de Damião do Jegue,  morto a tiros ontem à noite, por volta das 19h, em frente ao Bar do Hulk, no Valentina Figueiredo, em João Pessoa.

 

 
Segundo informações coletadas no local pela Polícia, Damião se encontrava dentro de um Fiat Tipo (placas MMU-6180-João Pessoa) quando foi alcançado por dois homens que o perseguiam em uma motocicleta e já tinha conseguido secar a tiros os pneus do carro da vítima.

 

 
Quando o carro parou os pistoleiros se aproximaram e dispararam vários tiros em Damião. Três balaços atingiram a cabeça de Damião. Os assassinos fugiram sem maiores problemas do local, onde de imediato se formou uma multidão assustada com tamanha violência.

 

 
Damião Galdino da Silva, 67 anos, está sendo velado em Mangabeira e será sepultado logo mais no Cemitério São José, em Cruz das Armas.

 

 
Damião ficou conhecido nacionalmente na década de 80, por tentar presentear o Papa João Paulo II com um jegue. É daí que vem o nome pelo qual passou a ser chamado.

 

 
Ano passado, Damião fez um protesto no Valentina, bairro onde morava, subindo em uma antena de telefonia celular da qual ameaçava se jogar caso a imprensa não desse espaço para ele defender a transposição do Rio São Francisco.

 
29.07.06 [15:02]

Polícia sem pista dos assassinos de "Damião do Jegue" 
A polícia ainda não localizou os dois homens que mataram na noite desta sexta-feira o comerciante Damião Galdino da Silva, de 67 anos.

Os suspeitos pelo crime são dois rapazes que estavam em um moto Titan, de cor preta, de placa não identificada. Ninguém soube informar se ele tinha inimigos.

"Damião do Jegue" foi candidato a diversos cargos eletivos na Paraíba, desde vereador na Capital a deputado estadual. Esteve em Brasília com seu jegue e em 2004 ganhou a Corrida do Jegue realizada no Parque do Povo em Campina Grande.

(Colaboração de Heraldo 12º Cont.) 


Patrícia Braz, da Redação 
29/07/2006 - 13:14 - Familiares de Damião apontam amante como suspeita do crime

Durante o velório de Damião do Jegue na manhã deste sábado (29), em Mangabeira, familiares dele acusaram Marta Regina de Sousa de estar por trás do assassinato de ontem à noite, no Valentina.

Marta, que tinha um relacionamento com Damião, teria feito ameaças por ter sido abandonada pelo amante, segundo declarações da viúva, Maria Aparecida de Melo, e de Elvis Galdino da Silva, filho da vítima.

Damião mantinha uma união de 30 anos com Dona Maria Aparecida, que sabia do caso dele com Marta. Em declarações à TV Correio, a viúva disse que o relacionamento do marido com a outra mulher havia sido desfeito há cerca de um mês. 

Maria Aparecida relatou que nos últimos dias recebeu vários telefonemas de Marta, que não falava, apenas ria e desligava. Mas, em uma dessas ligações, teria dito que mandaria matar a rival.

A viúva disse ainda que dez minutos antes de morrer Damião teria recebido em seu celular uma ligação de Marta. A Polícia estaria de posse do aparelho e do registro da suposta ligação de Marta para Damião.

O filho de Damião reforça as acusações contra Marta e lembra que por várias vezes advertiu o pai de que a amante dele seria perigosa, que teria, inclusive, sido responsável pela morte de duas outras pessoas. Segundo Elvis, Damião não deu importância a esses avisos. 

Marta, também ouvida pela reportagem da TV, rebateu as acusações e devolveu-as ao filho de Damião, que teria jurado o pai de morte em alguma ocasião no passado, "caso ele não me abandonasse".

(Colaboração de Theodoro)

 

NOSSAS CONDOLÊNCIAS

VOLTAR