HOMENAGEM  PÓSTUMAS

13º Contingente - Btl.Suez - 1° TNE.PEDRO DAURA LUCENA


Recebi do Professor MANZINI-SP, repasso:

Crime:  Coronel reformado é assassinado Pedro Dauro de Lucena estava em sua fazenda em São Francisco de Paula GUILHERME A.Z. PULITA

O rompimento de um contrato de trabalho que se prolongava por mais de uma década teria sido o estopim para a morte do coronel reformado do Exército Pedro Dauro de Lucena, 72 anos, assassinado a facadas na tarde de quarta-feira em São Francisco de Paula, na Serra.

O crime ocorreu na propriedade do militar reformado, a Fazenda do Chapéu, entre as localidade de Apanhador e Lajeado Grande. O ex-caseiro de Lucena foi apontado por testemunhas como o autor do homicídio. O homem fugiu e, até ontem à noite, não havia sido localizado.

Principal testemunha do crime, uma funcionária da fazenda relatou ao titular da DP de São Francisco de Paula, delegado Anderson Spier, que pouco antes das 18h viu o ex-caseiro se aproximar de Lucena. Ambos se cumprimentaram com um aperto de mãos e conversaram. Ainda pela versão da testemunha, em seguida o homem sacou uma faca e começou a golpear o coronel. A jovem correu na direção dos dois e, ao se aproximar do trabalhador rural, foi ferida com uma facada na perna. Ela passa bem.

Enquanto a jovem corria até a sede da fazenda para pedir socorro, o matador entrou em um matagal e desapareceu. O delegado afirma que há pouco mais de um mês Lucena havia encerrado o contrato de trabalho com o capataz e seus familiares. Mesmo assim, o homem continuava residindo na propriedade.

Ex-capataz já responde a um processo por homicídio

Outra testemunha relatou ter ocorrido uma discussão entre o caseiro e o militar.

- Ouvimos quatro pessoas até o momento. Todos disseram que eles tinham um bom relacionamento e que nunca houve briga entre eles, porém, uma testemunha relata ter havido uma discussão antes do crime - diz Spier.

Em 2006, o ex-capataz do coronel foi indiciado por homicídio. Ele teria assassinado um homem, também a facadas, em uma baile em Lajeado Grande.

- E ainda foi o coronel (que também era advogado) quem acompanhou todos os procedimentos criminais contra o funcionário. Ele (Lucena) era uma pessoa muito séria e de respeito - afirma o delegado Spier.

O ex-capataz ainda não foi julgado pelo assassinato de 2006.

( guilherme.pulita@jornalpioneiro.com.br )

Multimídia

Lucena

Morto aos 72 anos, o militar foi velado e sepultado no Cemitério João XXIII, em Porto Alegre, cidade onde morava

Saiba mais:

Trajetória marcante no Exército Professor Manzini escreveu...O nosso Ten Lucena morreu

? ? Meu Amigo Theodoro, um fato lamentável ceifou a vida de um excelente e grande companheiro! O 13ºContingente está de luto.

Coronel reformado é assassinado

http://www.clicrbs.com.br/jornais/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&ed
ition=7931&template=&start=1&section=Pol%EDcia&source=Busca%2Ca1532310.xml&
channel=9&id=&titanterior=&content=&menu=23&themeid=&sectionid=&suppid=&fro
mdate=&todate=&modovisual=

e-mail recebido do Faraó, Sd 8117-Camboim 3ºPel.-7ªCia.Btl.Suez - UNEF

Caso tenha alguma dúvida para acessar o site clicRBS, ou deseje alguma informação,
envie um e-mail para atendimento@clicrbs.com.br

Abraços

Edmundo Manzini

SAUWICH EDMUNDO MANZINI DE SOUZA
Cmdt 1ºGC/ 3ºPel/7ªCia/13°Contg/Btl Suez
PRÊMIO NOBEL DA PAZ DE 1988 - UNEF
Visite:.www.batalhaosuez.com.br


De: "Theodoro da Silva Junior" <theojr@terra.com.br>
Data: Sat, 16 Jun 2007 21:07:46 -0200
Assunto: CEL.LUCENAL 13º CONTING. FOI ASSASSINADO


NOSSAS CONDOLÊNCIAS

VOLTAR